Judas Priest: 35 anos de “Killing Machine/Hell Bent For Leather”

"Killing Machine" ou "Bent For The Leather": apesar de ser mais comercial, ainda manteve a agressividade dos Metal Gods
“Killing Machine” ou “Bent For The Leather”: apesar de ser mais comercial, ainda manteve a agressividade dos Metal Gods

Ontem, 9 de outubro, marcou o 35º aniversário do álbum “Killing Machine”, o quinto trabalho de estúdio da banda Judas Priest. Pelo menos a versão britânica, já que a edição norte-americana, que recebeu o título de “Hell Bent For Leather”, foi lançada em março de 1979. Gravado entre agosto e setembro de 1978 nos estúdios Utopia e CBS, ambos em Londres, o disco teve a produção assinada pela própria banda em parceria com James Guthrie. E esse foi um dos dois álbuns de estúdios a ter os serviços prestados pelo excelente baterista Les Binks.

Esse registro dos Metal Gods deixou a banda em um estilo mais comercial, porém, manteve os mesmos temas líricos de seus trabalhos anteriores, mas que foi consolidado nas paradas inglesas, embora as canções ficassem mais curtas. Além disso, foi a partir desse momento que Rob Halford e sua trupe adotaram o visual que se mantém até hoje: vestimentas de couro com tachinhas, além da entrada do vocalista ao palco com a sua Harley Davidson, que já viraram marcas registradas.

A Columbia / CBS, responsável pela distribuição do álbum nos EUA, não gostou das “implicações assassinas” no título do play. Por isso que a versão ianque traz outro nome, mas que, assim como “Killing Machine”, é título de música do álbum.

Apesar das letras mais “simplificadas”, a parte instrumental do Judas Priest aqui se manteve agressiva e, ainda, teve influências do Blues elaboradas em algumas músicas. Destaques para as duas “faixas-títulos”, “Burnin’ Up”, “Evil Fantasies”, a festeira “Running Wild”, a balada deprimente “Before The Dawn” e o grande cover do Fleetwood Mac, “The Green Manalishi (With The Two-Proged Crow)”.

Em 2001, o álbum foi remasterizado e acrescido de duas faixas: “Fight For Your Live”, gravada durante as sessões de “Screaming For Vengeance”, e que foi a versão original de “Rock Hard Ride Free”, presente em “Defenders Of The Faith” (1984); e uma versão “live” de “Riding On The Wind”, gravada no Us Festival, em Devore, Califórnia, em 29 de maio de 1983.

Esse é um excelente trabalho para quem quiser conhecer o Priest a partir da fase do “Breakin’ The Law”.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist de “Killing Machine” ou, se você preferir, “Hell Bent For Leather”.

Álbum: Killing Machine ou Hell Bent For Leather (nos EUA)
Intérprete: Judas Priest
Lançamento: 9 de outubro de 1978 (versão britânica), março de 1979 (versão norte-americana)
Gravadora: Columbia / CBS
Produtores: Judas Priest e James Guthrie

Rob Halford: voz
K.K. Downing: guitarra
Glenn Tipton: guitarra
Ian Hill: baixo
Les Binks: bateria

Dave Holland: bateria (apenas nas faixas bônus)

1. Delivering The Goods (Halford / Downing /Tipton)
2. Rock Forever (Halford / Downing / Tipton)
3. Evening Star (Halford / Tipton)
4. Hell Bent For Leather (Tipton)
5. Take On The World (Halford / Tipton)
6. Burnin’ Up (Dowing / Tipton)
7. The Green Manalishi (With The Two-Pronged Crown) (Green)
8. Killing Machine (Tipton)
9. Running Wild (Tipton)
10. Before The Dawn (Halford / Downing / Tipton)
11. Evil Fantasies (Halford / Downing / Tipton)
Faixas bônus:
12. Fight For Your Life (Downing / Halford / Tipton)
13. Riding On The Wind (live) (Dowing / Halford / Tipton)
Por Jorge Almeida

Anúncios

2 comentários sobre “Judas Priest: 35 anos de “Killing Machine/Hell Bent For Leather”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s