Ramones: 35 anos de “Road To Ruin”

Road To Ruin: álbum que marca a estreia de Marky Ramone na baqueta dos Ramones
Road To Ruin: álbum que marca a estreia de Marky Ramone na baqueta dos Ramones

No último dia 21 de setembro, o álbum “Road To Ruin”, dos Ramones, fez 35 anos de seu lançamento. O registro marcou a estreia de Marc Bell, que virou Marky Ramone, obviamente, na banda. O ex-Dust substituiu Tommy Ramone na bateria. Além disso, o disco traz outra peculiaridade: foi o primeiro trabalho do grupo com música que ultrapassou os três minutos de duração.

O último registro de Tommy como integrante da banda foi na gravação de um concerto que ocorreu no dia 31 de dezembro de 1977 no Rainbow Theatre, em Londres. Esse show, um ano depois de sua realização, foi lançado como “It’s Alive” (1979), o primeiro trabalho ao vivo dos Ramones e que trazia 28 temas ramônicos intercalados pelos famosos berros “one, two, three, four!” de Dee Dee Ramone. A saída do baterista foi de forma amigável e, inclusive, a principal causa de seu desligamento foi pelo fato de que Tommy estava saturado das longas turnês que os Ramones vinham fazendo. Então, ele dedicou-se à produção de discos, inclusive o próprio “Road To Ruin” e “Too Tough To Die”, e passou a assinar com o seu nome verdadeiro: Tommy Ederlyi.

Com Marky assumindo o posto de baterista em maio de 1978 e, algumas semanas depois, entrou juntamente com Joey, Johnny e Dee Dee Ramone, no estúdio Media Sound, em Nova York, para dar início às gravações do quarto álbum de inéditas da banda punk, cujas seções duraram até junho do mesmo ano. A primeira apresentação com o novo integrante aconteceu em 29 de junho de 1978, logo após a gravação do disco. Então, os Ramones realizaram cerca de 160 shows para a divulgação do álbum.

No final daquele ano, começaram as filmagens de “Rock ‘N’ Roll High School”, um filme produzido em 1979 produzido por Roger Corman e que teve a participação dos Ramones. Porém, o (pouco) dinheiro que a banda recebeu durante as gravações do filme, em Los Angeles, não era suficiente para pagar a conta do hotel. Então, para compensar o “preju”, o quarteto faziam shows em cidades próximas.

Quanto a “Road To Ruin”, ele soou mais pop em relação aos trabalhos anteriores e também é nítida a influência dos grupos sessentistas, em especial os femininos, em músicas como “Don’t Come Close”. E claro que o disco não poderia ficar sem o seu cover. Dessa vez, a música “coverizada” pelos Ramones foi a balada “Needles And Pins”, composta pela dupla Jack Nitzche e Sonny Bono, e que foi gravada primeiramente por Jackie de Shannon em 1963. O disco é recheado de boas músicas, como as citadas anteriormente, e também a faixa que abre o disco (“I Just Want To Have Something To Do”), “I Don’t Want You”, “I’m Against It”, que foi regravada pela banda Overkill em seu álbum de covers intitulado “Coverkill” (1999), a empolgante “She’s The One”, “Bad Brain”, faixa que inspirou os, então, desconhecidos Mind Power a mudarem o nome que dá título à canção, porém, com o substantivo (“brain” = “cérebro”) no plural. E, sem deixar de destacar o clássico “I Wanna Be Sedated”, que, de longe, é a música mais conhecida de “Road To Ruin” e um dos maiores clássicos dos Ramones.

A capa do álbum foi ilustrada por John Homstron, da revista Punk. Vale destacar que o vinil editado nos Estados Unidos foi prensado da forma tradicional, ou seja, na cor preta, enquanto no Reino Unido, o material foi prensado em vinil amarelo transparente.

A versão original dos EUA do álbum foi prensado em vinil preto tradicional, enquanto que a versão original no Reino Unido foi prensado em vinil amarelo transparente.

Em 2001, “Road To Ruin” foi relançado com cinco faixas bônus. Duas delas – “I Want You Around” e “Rock ‘N’ Roll High School” – foram remixadas por Ed Stasium e lançadas anteriormente na trilha sonora de “Rock ‘N’ Roll High School” (1979) e na coletânea dupla “Hey Ho! Let’s Go! Ramones Anthology” (1999), enquanto “Come Back, She Cried A.K.A. I Walk Out” foi gravada em uma demo de “Road To Ruin”, “Yea, Yea” foi gravada durante as sessões de “Pleasant Dreams” (1981), mas já havia sido lançada na coletânea “All The Stuff (And More) – Volume 2” (1991) e, finalmente, o medley “Blitzkrieg Bop / Teenage Lobotomy / California Sun / Pinhead / She’s The One” também consta no tracklist na trilha sonora do filme.

Assim como os três primeiros trabalhos dos Ramones, esse também é obrigatório para quem quiser conhecer melhor o mundo “ramônico” de Joey Ramone e camaradas. Fica a dica.

Abaixo, a ficha técnica e o tracklist desse clássico do rock.

Álbum: Road To Ruin
Intérprete: Ramones
Lançamento: 21 de setembro de 1978
Gravadora: Sire / Warner Bros.
Produtores: Tommy Ederlyi e Ed Stasium

Joey Ramone: voz
Johnny Ramone: guitarra
Dee Dee Ramone: baixo e backing vocal
Marky Ramone: bateria

1. I Just Want To Have Something To Do (Ramones)
2. I Wanted Everything (Ramones)
3. Don’t Come Close (Ramones)
4. I Don’t Want You (Ramones)
5. Needles And Pins (Bono / Nitzsche)
6. I’m Against It (Ramones)
7. I Wanna Be Sedated (Ramones)
8. Go Mental (Ramones)
9. Questioningly (Ramones)
10. She’s The One (Ramones)
11. Bad Brain (Ramones)
12. It’s A Long Way Back (Ramones)
Bônus:
13. I Want You Around (Ed Stasium Version) (Ramones)
14. Rock ‘N’ Roll High School (Ed Stasium Version) (Ramones)
15. Blitzkrieg Bop/Teenage Lobotomy/California Sun/Pinhead/She’s The One (Ramones / Glover & Levy)
16. Come Back, She Cried A.K.A. I Walk Out (demo) (Ramones)
17. Yea, Yea (demo) (Joey Ramone)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s