Os 20 anos de “Painkiller”, do Judas Priest

Painkiller é considerado um dos melhores álbuns do Judas Priest

Lançado em 3 de setembro de 1990, “Painkiller” é o primeiro álbum do Judas Priest que contém a presença de Scott Travis na bateria, no lugar de Dave Holland. E, como é de praxe nos trabalhos dos “Metal Gods”, as faixas têm as assinaturas de Halford, Tipton e Downing, exceto em “Touch Of Evil”, que têm além desses três, o produtor do álbum Chris Tsangarides como co-autor. E “Painkiller” contou com a participação especial do atual tecladista do Deep Purple, Don Airey, que atuou em “A Touch Of Evil”. Assim como outros trabalhos do Priest, “Painkiller” também teve uma edição remasterizada e relançada em 2001, acrescida de faixa bônus.

O álbum foi gravado em Brignoles, na França, nos estúdios Miraval e mixado no Wisseloord Studios, Hilversum, na Holanda no início de 1990. O álbum foi indicado ao Grammy de Melhor Performance de Metal, em 20 de fevereiro de 1991, no 33º Annual Grammy Awards.

Com “Painkiller”, o Judas Priest voltou ao estilo que os consagrou nos anos 70, além de ser “mais rápido” e melhor do que os últimos trabalhos que a banda tinha lançado (“Raí It Down” e “Turbo”). Alguns consideram o disco como um marco para o ‘speed metal’, além de servir de influencia para bandas de metal europeu, como o Primal Fear e Gamma Ray.

Após a turnê de “Painkiller”, o vocalista Rob Halford decide deixar a banda, devido à crescente tensão na banda (será que é por causa da homossexualidade de Halford?). Mas Rob saiu amigavelmente e fundou uma nova banda: o Fight, anos mais tarde, criou o Halford (que, inclusive se apresentou no Rock In Rio III). Enquanto Rob Halford seguia em sua carreira, o Judas Priest recrutou Tim ‘Ripper’ Owens, que gravou os medianos “Jugulator” e “Demolition”, antes da volta de Halford.

A capa do disco traz a figura do “painkiller”, um messias fictício criado pelo Judas Priest. O tal messias é descrito como um messias do metal que foi enviado para salvar o mundo para destruir o mal e salvará a humanidade da destruição. A ilustração também aparece em outros trabalhos do Judas. Além do seu corpo de metal, “painkiller” aparece montado em uma motocicleta com um dragão para o chassi e duas serras circulares para as rodas.

Abaixo a ficha técnica e o tracklist* de “Painkiller”

Álbum: Painkiller
Intérprete: Judas Priest
Lançamento: 3 de setembro de 1990
Gravadora: Columbia Records
Produtor: Chris Tsangarides

Rob Halford: vocal
Glenn Tipton: guitarra
K K Downing: guitarra
Ian Hill: baixo
Scott Travis: bateria
Don Airey: teclados em “A Touch Of Evil”

1. Painkiller
2. Hell Patrol
3. All Guns Blazing
4. Leather Rebel
5. Metal Meltdown
6. Night Crawler
7. Between The Hammer & The Anvil
8. A Touch Of Evil (Halford / Dowing / Tipton / Chris Tsangarides)
9. Battle Hymn
10. One Shot At Glory
Faixas incluídas na versão remasterizada do álbum, de 2001:
11. Living Bad Dreams
12. Leather Rebel (live)
* Todas as faixas foram escritas e compostas por Halford, Downing, Tipton, exceto a indicada.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s